quinta-feira, 22 de março de 2012

Personalizando o Seu Deck.



                O trabalho com cartas de Tarot sempre foi muito amplo e pra quem curte, consegue ser bem desafiador. Como um amante das cartas e de Decks variados eu decidi colocar em prática uma atividade que eu vi no vídeo “Modifying Tarot Decks” do The Tarot Connection e eu vou contar neste post um pouco de como foi e esta experiência e como ela modificou totalmente o relacionamento com um dos meus Decks favoritos.
    Bem, uma das sugestões que o vídeo dá é escolher o seu Deck favorito para personalizar de acordo com a sua criatividade. De cara pensei no Wildwood Tarot, que desde que eu comprei, se tornou o meu “intocável” e sim, literalmente intocável, pois eu tinha um receio de fazer leituras com ele, seus símbolos são tão profundos e falam comigo com tanta intimidade que eu o usava somente para meditações e rituais que precisavam tocar minha psiquê de uma maneira única e transformadora. Esta foi uma escolha difícil, pois seria abrir mão de um Deck que eu me importo muito e não estava disposto a investi-lo em uma experiência que poderia resultar num fracasso. Concluindo: Comprei outro exemplar para ter certeza de que não ia perder nada! E assim iniciei um processo mágico e maravilhoso de criar um baralho único.
                É certo de que quando mais nos envolvemos num processo criativo, mais de nós este Novo irá ter e foi esse pensamento que me motivou a continuar. Primeiro, olhar 78 cartas, prontas para serem cortadas, sem que a qualidade do material se perca e ainda, com tesoura. A Ginny usou uma guilhotina ou algo parecido, eu não tinha isso em casa, foi no tesourão mesmo! Primeiro fiz com os Arcanos maiores, pensei que se eu não gostasse do resultado poderia usar estas cartas para outras finalidades. Acontece que o resultado foi bom e muito, além disto, foi ótimo! Entreguei-me a cortar mais e mais, cansou e o resultado final foi várias cartas originais.
                O processo não é somente cortar e tirar as bordas, é preciso embelezá-los, dar um toque pessoal as cartas. Então eu resolvi pintar as bordas com giz de cera. Os Arcanos Maiores foi de roxo, para a espiritualidade e para cada naipe a sua específica cor: Vermelho para Paus, Amarelo para Espadas, Azul para Copas e Verde para Ouros.
                Por fim este é um Deck que não sai da minha mochila e eu estreitei os meus laços com a energia e imagens de cada carta, olhei cada uma bem de perto, senti a sua vibração, meditei e refleti, me emocionei, cansei e me orgulhei do processo final.
                Modificar e personalizar tem seu preço e a coragem e bravura necessária para pegar uma tesoura e retalhar o seu baralho favorito causa boas impressões. A nossa natureza divina é criativa... Cada borda, transborda! Aventure-se e deixe que a originalidade seja a marca de seu mais novo velho Deck!

Um comentário:

  1. Coragem. Esse é um ato de coragem.
    Em um deck de Tarô eu não mexo... mas já criei baralhos cartomânticos.
    Abração!

    ResponderExcluir