sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Pirâmide do Poder: Manifestar.


Chegamos ao fim de mais uma etapa de treinamento mágico, baseado na estruturação elementar; lapidamos nosso corpo, mente, emoções e espírito. Agora chega a hora de unir tudo isso em prol do trabalho do seu Deus interior. Na tradição Feri acreditamos que o nosso ser se divida em basicamente quatro partes, somos corpo, somos Fetch, somos o Self Discursivo e somos centelha divina. Isso nos coloca em vários ângulos de prática muito interessantes, onde o primeiro deles é que o corpo não está alheio a espiritualidade e de que a nossa alma engloba a nossa estrutura física bem como a materialidade ao nosso redor. Podemos perceber ainda que somos muito mais do que podemos ver e ainda, que somos ativos em nossa esfera divina. 
O propósito desta etapa da pirâmide é colocar em ação tudo o que temos praticado para realizarmos o nosso trabalho divino em harmonia com a proposta divina maior. Durante este mês faremos práticas mais focadas na espiritualidade.

Primeira semana: Continue se exercitando, respirando de maneira consciente, abençoando a água e praticando o silêncio em sua rotina diária. Isso vai se estender ao longo de sua prática espiritual e que continue enquanto for saudável para você mesmo e para sua prática. É importante incorporar esses elementos a sua rotina, você vai perceber que leva menos de um minuto e é fundamental para te conectar com o seu eu divino durante o seu dia, o que faz toda a diferença. Além destas práticas vamos buscar alinhar nossos centros energéticos, nossos chakras. Todos os dias, pela manhã de preferência, faça o exercício da árvore da vida:
“Concentre-se e centre-se. inspire profunda e lentamente, relaxando cada músculo do seu corpo, inspire e expire, cada vez mais relaxado.
Foque sua atenção na sola de seus pés, ou se estiver sentado, foque-se no cóccix, onde o corpo se apóia na terra. Sinta o pulsa da energia, sinta vibrar, concentre-se em direcionar sua energia para este ponto. Quando se sentir pronto, lance essa carga energética para o solo, criando raízes que vão da superfície da terra ate o seu centro, veja as camadas, sinta os lençóis freaticos, afunde-se cada vez mais ate chegar no núcleo do planeta, quente, o magma, intenso. Mantenha a sua atenção neste ponto por uns instantes.
Agora, sugue através de suas raízes a energia abundante deste centro da terra, traga  essa força ate a base de sua coluna. Visualize a cor vermelha, entoe o seu mantra (LAM). Concentre-se  neste ponto e deixe a energia da terra ativar a energia deste chakra e limpar os nadis, sinta a energia fervente da terra subindo pelas suas pernas e estimulando cada centro energético, limpando e movimentando o que está estagnado ate chegar no chakra básico. Fique neste estado por alguns minutos e continue entoando o mantra algumas vezes, pelo menos sete vezes e então siga para o chakra sacro/sexual.
Puxe a energia da terra ate a altura do chakra sacro, aproximadamente quatro dedos abaixo do umbigo e visualize a cor laranja, e entoe o seu mantra pelo menos sete vezes (VAM), sentindo a energia quente movimentar o seu centro  energético, ativan-do e purificando. Siga então para o chakra do plexo solar.
Traga a energia da terra ate o chakra do plexo solar, aproximadamente quatro dedos acima do umbigo e visualize a cor amarela, e entoe o seu mantra pelo menos sete vezes (RAM). Após isso, siga para o próximo chakra, o cardíaco.
Sugue a energia da terra, mantendo o foco em sua respiração e direcione-a até o chakra cardíaco, no centro do seu peito, visualizando as cores verde, dourado e rosa, entoe o seu mantra pelo menos sete vezes (YAM). Prossiga para o próximo chakra, o laríngeo.
Repita todo o processo de trazer a energia da terra e direcione-a para a garganta, o local do chakra laríngeo. Deixe a energia agir no local, visualize a cor azul-claro, e entoe o seu mantra pelo menos sete vezes. (HAM - pronuncia como o som de caRRo) Siga para o próximo chakra.
Traga a energia da terra ate o centro de sua testa, local do chakra frontal e deixe a energia agir. Visualize a cor azul-anil e violeta, e entoe o seu mantra pelo menos 7 vezes (OM) e então prossiga para o próximo e ultimo chakra, o coronário.
Direcione a energia da terra ate o alto de sua cabeça, e no caminho passe por cada chakra e entoe o seu mantra uma vez, visualizando a respectiva cor ateh chegar no alto da cabeca. (LAM, VAM, RAM, YAM, HAM, OM) Agora deixe a energia agir e visualize todas as cores dos chakras anteriores, entoando os seus respectivos mantras. Ao final visualize a cor branca e entoe o mantra OM por pelo menos sete vezes.
Apos todos os chakras terem sido ativados, traga a energia da terra novamente ate o topo de sua cabeça e como os galhos de uma arvore, deixe que que toquem o chão, formando um ciclo, sugue a energia da terra, leve-a ate o topo da cabeça e derrame-a na terra através dos galhos energéticos que saem de seu coronário e tocam o solo. Fique nesse movimento por uns instantes, sempre prestando atenção na respiração. Inspire: sugue a energia. Expire: devolva a energia. Sinta a sua vibração aumentar, seu corpo vibrar e somente então inspire profundamente contanto mentalmente ate sete, segure por 7 segundos e expire contando mentalmente ate 7 (respiração 7/7/7). Ao segurar e expirar visualize sua aura se expandindo. Faca isso por sete vezes. E expanda a sua aura o máximo que puder neste tempo. Sinta-a como parte de você, que de acordo com sua vontade e visualização, ela se expande ou se contrai. 
E então, após todo este processo, respire fundo e devolve todo o excesso de energia do seu corpo para a terra, agradecendo as bênçãos para o seu corpo e espírito.

Segunda semana: Você vai realizar uma meditação simples, baseada em seus movimentos respiratórios e visualização. Sentado em uma posição confortável mentalize acima de sua cabeça o símbolo do infinito um “8” deitado, brilhante e vivo, pulsante. Este é o seu Self-Divino. Inspire pelo topo de sua cabeça a energia que emana deste símbolo até a altura de seu coração. Essa energia se mescla com o oxigênio em seus pulmões e é transportada para todo o seu corpo, te colocando em harmonia com o trabalho de seu Deus interior. Ao finalizar diga em voz alta: “Que com a orientação dos Deuses eu possa realizar o meu trabalho divino no dia de hoje! Namastê!”

Terceira semana: Durante esta semana você vai realizar um exercício mágico e muito potente, eu tirei esta prática do livro “Evolutionary Witchcraft” da T. Thorn Coyle. Dançando o Sol e Dançando a Lua. Durante um dia de sol, vá a até um local aberto, onde você se sinta confortável. Inspire a luz solar por todos os seus poros, mantenha essa força dentro de ti, sinta como o sol se movimenta em seu corpo, animando o seu espírito, veja seu corpo brilhar, repita essa operação por alguns minutos, até estar transbordando de energia solar, até sentir que por seus poros a energia se expande, vibra e flui. Dance esta energia (se não se sentir confortável em fazer isso no local onde está, leve a energia até um local mais privado.) dance o sol que há em ti, deixe que essa energia te conduza numa valsa mágica e cósmica. Ao fim, respire essa energia de volta para o sol, agradeça as bênçãos e renove-se. Faça o mesmo exercício com a lua. Está é a primeira etapa de quem pretende trabalhar com oráculos, puxar o sol e a lua durante rituais. 

Quarta semana: Nesta semana você vai se conectar com o divino ao seu redor e com divindades que você tem mais afinidade. Primeiramente vá a um lugar onde exista natureza em seu aspecto mais puro, um bosque, um parque, um vale e comece reconhecendo a divindade imanente, que existe em tudo e em todos. Encontra uma árvore, uma planta, uma pedra e através do seu self-divino, conecte-se com o self-divino deste ser, peça com gentileza que ele se apresente, que te mostre as coisas do seu ponto de vista, curta essa momento.
Para se conectar com uma divindade específica, escolha em seu altar alguma representação da mesma, pode ser uma concha, uma planta, uma estatua ou algo do gênero. Comece respirando lenta e profundamente, se conectando com o aqui e agora, com si mesmo e com seu self-divino. Peça que a divindade se apresente a você, que te toque com suas bênçãos, não espere nada desta divindade, apenas curta esse momento a dois, diga seu nome, se apresente, quando sentir que é a hora, despeça-se e agradeça por este encontro.
Com isso damos fim a 5 meses de treinamento intenso, em seu diário note como você cresceu, em que se transformou. O que mudou? O que continua o mesmo? Procure outros treinamentos para manter-se em movimento, crie uma rotina espiritual saudável. Se até este ponto você ainda não desenvolveu hábitos de práticas espirituais, volte ao inicio de deste treinamento e de o melhor de si. Agora vá e transforme o mundo ao seu redor. As coisas mudam quando a gente muda.
Namastê!

Nenhum comentário:

Postar um comentário