quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Sementes, Alimentos e Feijões: O Arcano 13!



                O número 13 a tempos vem sendo considerado um número de mau agouro em nossa sociedade, a origem disto não se sabe muito bem ao certo, várias fontes relacionam ele com bruxas e inquisições, outros dizem que esta superstição é muito mais antiga. Eu acredito na tese de que o número 13 lembra uma ligação mais primitiva, que precisava ser reprimida e por isso foi colocada como terrível, a ligação com a lua. Antes de termos nosso calendário de 12 meses solares, utilizavam-se os calendários lunares, com 13 meses, 13 luas.
                Eu gosto desse pensamento. O 13 se relacionando com a lua. A lua relacionada a transformação, a ciclos e a mudanças. Mudanças lentas, mudanças rápidas, marés, menstruação, crescimento, mistério. Lua me lembra água também ,e esse aspecto da água misteriosa, profunda está ligado diretamente com o signo de escorpião, uma correspondência dA Morte.
                A Morte! Só de ler isso algumas pessoas tem arrepios, quando esta carta sai na jogada então é um Deus nos acuda! Calma... a morte nem sempre é o que parece ser. Eu tenho uma visão muito interessante deste Arcano que fui construindo com o tempo e desenvolvendo conforme a minha relação com a Deusa foi se fortalecendo. Esta é uma carta que representa muito do que eu acredito ser a religião da terra: Transformação. E por isso gosto muito das novas representações gráficas que os novos Decks tem nos apresentado. A primeira vez que vi uma carta 13 de uma maneira diferente foi no Tarot dos Anjos e eu fiquei muito impressionado pela ousadia. Desde então eu tenho amado ver diferentes pontos de vista sobre este Arcano. O meu preferido é o do “Circle of Life” que transformou os símbolos sem tirar a sobriedade, a escuridão do momento.
                Para me ajudar a compreender e viver esta energia eu fiz uma experiência de infância: Plantei um feijão no algodão! =D
                Esta experiência tem um simbolismo perfeito para esta carta. O feijão é colocado sobre um algodão com água, que se torna catalisador e agente de mudança da semente, assim como O Enforcado (que é água) e suas mudanças, sacrifícios e dificuldades é o que impulsiona a transformação dA Morte. Para o feijão brotar leva tempo, é necessário cuidado, um ambiente favorável e muita disposição da semente. A água vai amolecendo a semente, vai nutrindo, vai  incentivando o broto a quebrar as barreiras físicas e se transformar, crescer e subir. Essa força, esse impulso é latente da semente, tudo o que precisa é do estímulo correto, de um ambiente que favoreça esse crescimento, assim como os seres humanos, todos nós temos a semente da mudança dentro de nós, só precisamos do estimulo mais correto, do ambiente mais favorável e assim iremos atingir o que buscamos.
                Mudar é fácil? Todo mundo sabe que não! Mudar é rápido? Todo mundo também sabe que não! Mas quando mudamos, sempre é pra melhor ou pelo menos esta é a intenção. Esta mudança é como o feijão, de uma semente vai brotar dezenas de outros que irão servir de alimento, que irão ser semeados e que irão transformar o ambiente onde estiverem inseridos. Assim é a mudança dA Morte, ela aciona varias outras mudanças, que irão nutrir uma sociedade e semear mudanças e outros lugares, em outras pessoas, afinal, a sociedade muda quando a gente muda. Um relacionamento sempre vai ser abalado por estas mudanças.
                Esta experiência me ajudou a ver na prática como funciona o Arcano da Morte, é um processo lindo! Mas isso não o torna menos doloroso, acho que se torna poesia.

2 comentários:

  1. Show de bola, Phoenix. Acredito que conseguiu captar com grande maestria os processos de Nascimento e Morte. Como sempre costumo dizer, são coisas que nunca andam separadas e dançam uma mesma sinfonia.

    Parabéns pela experiência e pelas belas palavras.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Mudar é difícil mesmo... Imagina com uma Torre pairando? Quando essas cartas vem, geralmente sabemos oq precisa de ajuste. Então, meio que se entrega, né?.

    ResponderExcluir