segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A energia Deusa



Ao falar de Deusa não quero dizer dar uma forma personificada, arquetípica com a qual estamos acostumados, nomear Deusa seria limita-la, rotular algo que é inominável e ao tentar isso negamos a sua e a nossa própria existência, pois ao coloca-la em um padrão tal, nos colocamos como alheios a Ela, quando na verdade Deusa esta em tudo, incluindo nós.
Deusa não é algo, é uma dinâmica de vida que atravessa tudo existente e vivê-la é abrir olhos e ouvidos para a simplicidade ao nosso redor, podendo assim não nos auto-conhecer, mas nos reconhecer como Deusa em sua amplitude.
Neste processo não se exclui uma dinâmica energética chamada Deus que assim como Deusa perpassa tudo que é existente. Podemos observar tudo ao nosso redor como uma grande energia, que se fragmenta em aspectos Deus e Deusa. Deusa (de um modo pratico) é a terra fértil é o “ambiente facilitador”, Deus é a força da semente, é o instinto para semente crescer, algo da vida da semente, algo interno dela, que a faz subir e exercer seu potencial de árvore forte e majestosa.
Os animais são férteis pela Deusa, mas é a energia Deus que fazem um procurar o outro e dar deste encontro brotar a vida. Deusa aliada com Deus faz a existência acontecer e se transformar.
Este artigo se propõe viver Deusa em seus 10 aspectos explanados por Caítlin Matthews em seu livro “Elementos da Deusa” de forma pratica, através de experiências minhas nesta busca, algo muito particular onde com cada pessoa pode se acontecer de uma maneira totalmente diferente, mas essencialmente iguais. É importante ressaltar que Deusa não é algo que se compreende e sim algo que se vive e se é, um despertar para vida e universo.
Ao longo de minhas vivencias utilizei os mitos gregos para melhor compreender toda essa energia que nos rodeia, ao final percebemos que do todo tiramos partes que irão nos auxiliar em situações especificas de nossas vidas, sempre lembrando que o todo é maior que a soma das partes, como já diz a filosofia da Gestalt.

O primeiro aspecto é A Criadora de Tudo, Energia Gaia, todo o potencial criativo da terra fértil, onde tudo brota, tudo nasce e com o tempo tudo morre e se desintegra, transformando, movendo. A energia é o potencial criativo existente dentro de nos, as dores de um parto para dar a luz a uma idéia. A força para adentrarmos nossos caminhos, Gaia como elemento primordial, latente de uma potencialidade geradora absurda. Entrar em contato com a imensidão do espaço nos da a compreensão da Criadora de Tudo.
Se permitir viver A Criadora de Tudo é retornar ao Caos primordial e sair, se reconstruir, deixar que todo potencial criativo brote de seu ser para se tornar algo magnífico, sentido a energia ao seu redor, percebendo a vida pulsante em tudo a todo momento. Colocar em ação todo esse potencial é viver a parte Deusa Energizadora.
O aspecto Energizadora é a força que coloca em movimento tudo. Caracterizado por Afrodite, esposa de Hefesto, Amante de Ares e muitos outros, representa na simplicidade desses dois exemplos a força mobilizadora para criar e a força que impulsiona, agressiva. Ela é o êxtase, colocando tudo em um estado receptivo para a criação, é o amor em um sentido amplo que atrai, une, cria, motiva e vive, é uma questão de vida, energia, sexo. Pode ser vivido na satisfação sexual ou na eliminação da fome através do alimento, é tudo em movimento se ampliando.
Toda essa energia tremenda que impulsiona, cria e movimenta é colocada em um padrão ordenado, é direcionado para um fim através do aspecto Medidor da Energia Deusa.
A medidora, vivida através das Horas (que recebem Afrodite no seu nascimento) ou das Parcas (Nona, Décima e Morta) cuidando do nascimento, vida e morte de uma maneira tal que nenhum outro Deus do Olimpo pode interferir. Tudo na natureza exibe um padrão, uma ordem, desde as moléculas de um cristal multifacetado até as diferentes ordens celulares das plantas e outros seres orgânicos. Viver essa medida é canalizar o poder Deusa para um foco, objetivo, é aproveitar ao Maximo a energia infinita do qual vivemos e direciona-la, extraindo todo o conhecimento e aprendizado do potencial Deusa. Ela é o tempo, vivido de maneiras diferentes por cada pessoa em cada situação, às vezes lento, às vezes muito rápido, neutro, nem bom nem mal, apenas é. Através das faces da lua podemos viver a medidora, que controla a maré, delimita a luz, a vida.
Através destes limites e padrões percebemos que tudo isso precisa ser protegido, cuidado, resguardado, para que tudo continue no seu fluxo, fluindo em Deusa. É o amor protetor, mantenedor da ordem. A sua energia têm diversas formas, algumas rígidas e furiosas, outras amáveis e misericordiosas. Vivemos a protetora na transição das estações, os rígidos invernos, as chuvas, tempestades, os calores intensos, as mudanças climáticas nos dia de hoje, tudo sendo Protetora agindo, estabelecendo seu poder para que tudo continue como é pra ser, mantendo a energia Deusa. Ártemis é a perfeita representação da energia protetora, protege as matas e os partos, é a caçadora também estabelecendo um vinculo, mantendo a ordem estabelecida pela medidora. Ela transforma, muda e redime para manter a ordem natural de tudo.
Com essa manifestação energética de Deusa percebemos uma dinâmica externa, exuberante e extrema, chega o momento de viver Deusa de uma maneira um pouco mais sutil, em outro nível, mas com uma intensidade imensa.
A iniciadora, Demeter, nos mostra a profundidade oculta das coisas, vivenciada através dos mistérios dos festivais Solares, Solstícios e Equinócios, nos inicia nos mistérios da própria vida. Demeter se divide em boa e generosa e rígida e transformadora. A iniciadora nos fala sobre os mistérios do renascimento, nos mostrando o vasto conhecimento que podemos viver de Gaia, é a volta ao útero. A perda e o encontro, as próprias iniciações vividas em nosso dia-a-dia, difíceis e dolorosas por conta de padrões e hábitos que mantemos em nós mesmos, como na natureza, a primavera da vida sempre volta exuberante após um rígido inverno. Essa é a energia Iniciadora, Energia Demeter.
Para que possamos viver de maneira plena e vencer as provas da iniciadora, precisamos viver a forma Desafiadora, Athena, percebida claramente no mito de Perseu e medusa, a que instiga, ajuda e promove a iniciação. É através desta energia que encontramos forças para continuar, muitas vezes essa força vem como oposição, promovendo o movimento para dar força e atitude, renovando o que está gasto e velho em nossa vida. É o termino de um relacionamento desgastado, é a força para quebrar velhos padrões e conceitos e se jogar rumo a uma vida nova e desconhecida, sem rotinas, é o sentimento de medo, superação e tudo depende de nós para que possamos acessar e nos permitir viver essa energia de forma plena e sem receio.
Desafiadora e Iniciadora estão intimamente ligadas aos mistérios de nossa própria encarnação, é a desafiadora que nos reafirma esses nossos desafios para que possamos viver e entender Iniciadora. Ao vivermos tudo isto, encontramos Libertadora.
Libertadora, energia que transforma o sofrimento. É o sacrifício no sentido de “tornar sagrado”. Perséfone nos retrata isso em sua descida ao submundo, ficando por parte do ano, em uma dinâmica com Iniciadora, vivendo plenamente a escuridão, sem medo.
O sofrimento é positivo somente quando ele agrega compaixão. Libertadora acaba com as prisões egóicas, liberta do medo e dissipa os bloqueios, nem que para isso precise deixar tudo aos pedaços para que aos poucos possamos remontar as peças de uma outra forma, mais eficiente, livre de apegos, desilusões, frustrações e desespero.
Ao vivermos por tudo isso e crescermos, mudarmos, encontramos no caminho a sabedoria. A tecelã, Deusa que tece o pano da vida, em que nós não temos ainda a capacidade de ver de forma panorâmica, já que nossa consciência ainda é limitada por nós mesmos, estamos no centro da cena, algo como no filme “A vila”.
Hécate, a complexa energia da tecelã que vive-se de forma e entender a teia da vida, se colocar em harmonia com Deusa de forma a viver a vida vivida, plena, consciente. Tecelã é dissimuladora, ela engana, finge e nos confronta com nossas próprias mascaras, nos fazendo refletir sobre quem somos realmente onde queremos chegar, é a senhora dos 3 caminhos, é o poder de escolher e ser quem se é. Viver Tecelã é assumir a escolha de ser quem se é, digno e absoluto, viver Deusa em sua plenitude, por isso Tecelã é a guardiã dos portais da Sabedoria, somente vivendo ela é que podemos vencer a nós mesmos e encarar de frente a sabedoria suprema, estimulando o aparecimento de uma nova forma de se desenvolver.
A continuidade da Sabedoria suprema é expressa em Preservadora, essa energia Deusa, simples e ao mesmo tempo complexo que traz a mensagem de ver as coisas básicas, os atos cotidianos como sagrados, perceber Deusa em tudo e em todos, viver plenamente essa consciência. Héstia retrata de forma linda esse aspecto, simbolizada através do fogo, inicio e conclusão de tudo. Héstia esta presente em tudo, é a preservação da vida, preservação da dinâmica Deusa que age em tudo, nas sementes que crescem, na vida e na morte.
Por fim, a Sabedoria suprema, Sofia. O aspecto A Que dá Poderes, pois a sabedoria suprema, a compreensão da vida e de Deusa representa a sabedoria, o poder de viver plenamente. Após e percorrer todo o trajeto da criação a compreensão, podemos viver Deusa de forma completa e singular. Viver esses últimos aspectos é o mais complicado, por nos coloca de frente com nós mesmos, nos confronta em nossa individualidade, quebra os padrões e exige bases sólidas.
É muito importante realizar que esse desmembramento de Deusa é somente didático, tudo isso acontece o tempo todo em todo lugar, basta que nossos olhos e ouvidos se abram para Deusa. Em certas fases podemos refletir sobre determinado aspecto, mas invariavelmente, um puxa o outro e quando nos damos conta estamos vivendo Deusa por completo.  O que nos impede de nos dar conta disto são nossos padrões energéticos e consciências que são limitados pelo medo, estamos cegos pela rotina, a vida acontece ao nosso redor o tempo todo e quando digo vida digo vida e morte e vida novamente não como um ciclo, mas como uma continuidade, pois isso é Deusa, é fluir e tudo. Somos todos sementes com potenciais arvores dentro de nós, basta nos permitirmos viver Deusa, basta nos reconhecermos Deusa.
Torna-se muito difícil condensar toda uma vivência em palavras, em um texto, afinal nada é realmente conhecido até que seja vivido, por isso deixo um pequeno aperitivo de como a Deusa se mostrou a mima, essa força tão complexa e tão simples, vivam Deusa, se permitam harmonizar com essa força da existência, não se prendam a padrões que se limitam a uma vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário