quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Repensando a Roda do Ano: Ostara


Esta época do ano reflete um clima que muito me agrada. A primavera com seu céu azul, sua grama verde e o sol tímido que começa a aquecer tudo ao redor. Ostara me lembra os fins de semana com os amigos, o ar quente e fresco de um inverno que já esta se recolhendo e dando espaço para o calor de um verão por vir, Ostara é um meio termo das estações com qualidades próprias, vivas e diversas.

Diversidade, esta é uma das palavras deste festival, celebrar as diferenças, de tudo ao redor e de uns com os outros é celebrar a criatividade divina! Neste momento as flores estão desabrochando e diversos aromas permeiam o ar, tudo nos impelindo ao encontro. Encontrar-se consigo mesmo, um com os outros e com a terra novamente.

Uma das tradições de Ostara é partilhar ovos de chocolates, fazer a busca dos ninhos e se divertir com os amigos. Que melhor momento do que este, em que o calor já se faz presente em dias de sol para celebrar os amigos, celebrar as relações? Um grupo que não festeja junto, não se mantém junto. Bons momentos criam bons laços e fortalecem uma comunidade.

Durante este tempo a terra esta fértil, cheia de vida e com sua capacidade nutritiva ao máximo. É um bom tempo para trabalhar no seu jardim, plantar flores nos vasos e entrar em contato com a terra. Starhawk coloca em seu livro “Dreaming the dark” sobre a relação erótica com a terra, eu traduzi esse capitulo e você pode lê-lo aqui, que nos coloca a necessidade de desenvolver laços de amor com a própria terra, de botar a mão na massa e viver este momento. Estabelecer relações sadias com as plantas nos abre para novas possibilidades, para novas sensações e um novo mundo de descobertas, “Compreender que o erotico é uma energia confere a oportunidade para um relacionamento potencialmente erotico com a terra. Nós podemos amar a natureza, não de uma forma abstrata, mas de uma maneira carnal, com nosso corpo e ossos, esse amor que se reflete na vida selvagem pode nos motivar a proteger essa mesma natureza, nos dando a força profunda de que precisamos. Esse amor é a conexão, quando o sentimos profundamente, talvez com uma árvore, quando sentirmos que a sua aura se mescla com a nossa, com o nosso corpo, sentindo a energia fluir pelo solo e suas raízes, nos permitindo mergulhar e sentir-se um com o Ser-Árvore, assim então poderemos manter a luta para afastar os machados e serras de seus troncos, a radiação extrema de suas folhas, pois a amamos profundamente e esse amor nos conecta a tudo.”

É interessante neste momento abrir os ouvidos para o que as plantas tem a nos dizer, elas falam muito sobre a saúde do ambiente em que vivemos. Para quem curte plantar, é legal se manter aberto aos sinais de comunicação que as ervas dão quando são plantadas em lugares menos sadios. Conversar com as plantas não é esperar que uma voz responda! É se abrir para novas possibilidades de comunicação! O seu gato conversa com você como o seu amigo conversa? Não! Mas mesmo assim ele se comunica quando esta com fome, quando está carente ou quando esta no cio, certo? Ele não precisa de palavras pra falar tudo isso, tem o seu próprio jeito e estilo. O seu cão a mesma coisa, ele não se expressa em palavras, mas mesmo assim não deixa de se expressar e me diz, você mesmo assim não se comunica em palavras com ele? E eles de certa forma nos entendem... Com as plantas é a mesma coisa, conversar com elas não significa somente trocar palavras, pois isso nem sempre caracteriza comunicação entre seres humanos, quanto mais entre outras espécies! Se comunicar com as plantas é estar em prontidão, é mostrar interesse sincero e honesto em proporcionar o melhor ambiente, que promova o melhor desenvolvimento deste ser vivo! É saber ler as necessidades da planta e realmente se importar com o bem estar dela.

Tudo bem, você não gosta de plantar e nada muito do gênero, então que tal você tirar esse momento de Ostara para refletir sobre a maneira como cada árvore se desenvolve, mesmo a mesma espécie de arvore, plantas próximas uma a outra não se desenvolvem iguais! O que leva um galho se formar desta maneira ou de outra? E as flores? Como cada cor tem seu tom, como cada flor tem seu cheiro, como cada tipo é único. Como isso reflete o padrão divino da terra? É interessante começar a ver as plantas com outros olhos, que existe uma vontade nelas que indica o seu crescimento e desenvolvimento, existe algo, uma força interior que as faz serem diferentes uma das outras e pensa, tudo isso elas conseguem paradas! De onde vem tanta energia? De onde elas tiram o alimento? Da própria terra! Da mesma terra da qual nós tiramos nosso alimento!

Ostara é também sobre reunião, sobre família e coisas gostosas como chocolates e guloseimas, é celebrar a vida, a criatividade e a multiplicidade da natureza ao nosso redor, e bem, surpresa! Eu e você também somos parte da natureza! Então vamos celebrar um ao outro? Que tal juntar tudo isso de legal e fazer uma comemoração ou encontro? Que tal uma coisa descontraída e leve num domingo de sol? Que tal um pic-nic com muita coisa gostosa, toalhas xadrez e a galera reunida na grama de um parque, se curtindo, só o fato de estar junto, compartilhando o momento na sombra de uma arvore frondosa?

Por isso, que tal em Ostara nós celebrarmos a Terra, as relações e os prazeres de se estar junto? Uma boa comida, um bom vinho e em boa compania! Primavera é isso, é o flerte, é a brincadeira, é o jogo... É diversão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário