quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A Estrela de Ishtar - Um texto sobre A Irmandade de Isis (Fellowship Of Isis)


O diagrama de correspondências de rituais da Irmandade de Isis (Fellowship Of isis) é geralmente referido como “A estrela de Ishtar”. Seu nome completo é “A estrela de Ishtar e a teia do universo e o Dragão Tiamat em volta do divino útero”. E também é conhecido por “A estrela da vida da Irmandade de Isis”.


1. 1.Um diagrama colorido da Estrela de Ishtar.

2. 2.Uma percepção mística e a Sabedoria da Deusa Revelada.

3. 3.O conceito da estrela de Ishtar.

4. 4.Os quatro níveis.

5. 5. As cores dos quatro níveis.

6. 6. Os oito raios coloridos.

7. 7.Correspondência básica entre cores, números, rituais e os Raios Cósmicos.

1. 1. Um diagrama colorido da Estrela de Ishtar:



Esta espiral de 33 degraus é usada pelo Adepto (Iseum), Magi (Lyceum), Alquimista (Iseum Solar), Clã Druídico de Dana (Groves) e A Honorável Ordem de Tara. Para mais informações sobre cada um destes sistemas, visite o site www.thecircleofisis.com. Cada ponto numerado no diagrama corresponde a um ritual na liturgia.

http://lotuspharia.freeyellow.com/imagelib/sitebuilder/layout/spacer.gif

A Estrela de Ishtar e a Teia do Universo,

O dragão Tiamat em volta do divino útero.

2. Uma percepção mística e a Sabedoria da Deusa Revelada.

“Os raios da Estrela são o Tempo, seus níveis são as voltas do Dragão criador da Babilônia, A Deusa Tiamat. Suas quatro voltas formam o espaço, estes são correspondentes aos quatro níveis da Árvore cabalística da Vida (Atziluth, Briah, Yetzirah, Assiah). O diagrama se desdobra em teias de aranha, em volta de um útero em forma de ovo, central, que é a semente, o ponto de inicio do qual a vida emana na forma de oito raios cósmicos coloridos de Sirius, conhecida como A Estrela de Ishtar, e a Alma de Isis.” Olivia Robertson co-fundadora da Irmandade

“No altar principal da capela de Ishtar nós temos oito velas, oito é um numero especial para a Irmandade. A estrela de Ishtar tem oito raios, o ano tem oito festivais principais e é o sinal da eternidade, do infinito, da magia – os dois loops significando a consciência superior e inferior, os mundos superiores e os mundos inferiores experienciados como um só” – Olivia Robertson

Conhecimento acerca da Estrela de Ishtar é crucial para que se entenda o potencial latente de cada ritual na liturgia da Irmandade de Isis. A Estrela simboliza as relações entre espaço, formado pelas voltas em espiral do dragão, com o tempo, formado pela estrela de oito pontas de Ishtar, que também é conhecida como Estrela de Sirius ou Sothis, a Alma da Isis. Os oito raios que emanam da estrela cruzam com as voltas do dragão formando portais que provém oportunidades para crescimento espiritual com foco na energia divina, seus símbolos e chaves, como aqueles dados pela liturgia.

A Estrela de Ishtar é a base para todas as espirais de crescimento spiritual utilizadas na Irmandade de Isis, incluindo os Degrais Mágicos do colégio de Isis (Lyceums), A espiral do Adepto (Iseums), A Espiral do Alquimista (Iseums Solares) e a estrutura ritualística do Clã Druídico de Dana e da Honorável Ordem de Tara. O total de raios da estrela são oito, que um número unicamente feminino pois corresponde a soma dos terminais do XX no cromossomo feminino. As voltas espiradas de Tiamata correspondem a divina proporção expressa pelos números Fibonacci – a perfeita e divina harmonia expressa na natureza.O diagrama é baseado na Deusa Babilônica Tiamat, como Criadora Divina e Mãe de tudo, entrecortada pelos raios da Estrela de Ishtar. Ishtar subiu e desceu todas as esferas para resgatar seu Divino amante e Consorte, Tammuz, que é pastor das ovelhas celestiais. Nós usamos o diagrama para ilustrar o desenvolvimento da consciência através dos movimentos em espirais enquanto tempo corta o espaço.

3. O conceito da Estrela de Ishtar.

O conceito e chave para este diagrama nos foram revelado pela Lady Olivia Robertson através de inspiração divina. Foi desenhado originalmente para Olivia por Chesca Potter. As quatro voltas de Tiamat representam os quatro estágios da consciência. Os trinta e dois rituais são representados no diagrama onde os raios se encontram com o dragão em seus quatro planos de consciência, criando-se portais para se acessarem diferentes níveis de ser, dando espaço para se realizarem 32 ritos diferentes e um grau místico, o 33º que está situado no coração da Estrela de Ishtar. Olivia escreve: “Eu senti necessidade de manter o 33º grau aberto e, portanto místico, sem nenhuma correspondência com rituais, é um despertar espiritual espontâneo e pode acontecer a qualquer momento.” Os rituais da Irmandade são veículos que estimulam o desenvolvimento psíquico e a iluminação espiritual.

“O Diagrama da Estrela de Ishtar foi criado depois de um período de uma série de visões e experiências que levaram a formação gradual do diagrama da Estrela. Como todos os aspectos da Irmandade, o Diagrama é aberto. Você pode observar no inicio da Estrela algo parecido com uma cauda cósmica que leva até o rito numero um. Isso é por conta de que a espiral é um mapa, um cartaz multifacetado e sempre expansivo da existência. É o propósito da experiência espiritual nos sintonizarmos a consciência. Conforme vamos nos tornando mais conscientes, nós vamos mantendo as lições, visões e mensagens que recebemos de outra realidade. Não se engane, nós estamos em contato com o plano astral caso estejamos conscientes disto ou não. Faz parte do tecido universal, do que nos mantém, da nossa existência e de tudo ao redor.

Após criar a Estrela de Ishtar eu encontrei um diagrama chines, antigo, que contém um dragão que se curva sete vezes e uma estrela de oito pontas. Mais tarde fui descobrir que este símbolo faz parte da ordem Daoista da alquimia interna e que assim como a Irmandade de Isis, está de acordo com os mestres orientais! Como os professores do Oeste, eu vejo “agora” como tudo o que realmente temos. Esse “agora” é entrecortado por tempo e espaço. O tempo é emanado dos raios da Estrela de Ishtar, emanando em raios arco-íris para seus filhos que estão dispersos em sua criação. Essa teia da vida é o universo, ambos, físico e etérico. Tudo co-existe no corpo Dela, pois Ela é a Mãe de tudo. Eu fui guiada em visões para ilustrar a espiral cósmica Dela que eu interpretei como as voltas de Tiamat através da Deusa como criadora vem sendo conhecida por muitas culturas e nomes” (Olivia Robertson, Outubro, 2006).

4. Os quatro Níveis.

Os estudantes de Qabalah irão notar a relação entre a Estrela de Ishtar com os quatro mundo e trinta e dois caminhos da árvore da vida Qabalistica:

-Físico – Alma Mater (despertar para a nossa verdadeira relação com o mundo físico) Corresponde a terra (Nível Qabalistico: Assiah).

-Astral ou Psíquico – Flamma Vestae (Despertar de nossos dons psíquicos) corresponde ao Ar (Nível Qabalistico: Yetzirah).

-Espiritual – Porta Mystica (Despertar de nosso verdadeiro caminho espiritual) Corresponde à Água (Nível Qabalistico: Briah).

-Divino – Dulce Domum (Comunhão com a divindade de forma direta) Corresponde ao Fogo (Nível Qabalistico: Atziluth).

Estes níveis de existência espiralam de fora para dentro do útero divino da Deusa no centro da Estrela de Ishtar. O Ankh representa a emanação de vida de todo esse útero divino e os rituais numerados são como um caminho para retornar a este lugar espiritual bem como uma saída deste lugar. Os oito Raios Cósmicos da Estrela de Ishtar correspondem aos oito festivais solares que formam a roda do ano Irlandesa, as direções e os diversos e variados signos astrológicos e seus planetas. O estudante pode navegar os caminhos de diversas maneiras como:

-De fora para dentro da espiral (Para aumentar gradualmente o contato com a Fonte Divina).

-De dentro para fora (Para desenvolver os dons espirituais e manifestá-los no plano material.)

-Seguindo um ou mais raios (Para desenvolver união com O Divino usando um raio específico de energia arquetípica.)

Ou pode escolher qualquer ritual que esteja em ressonância com o momento, independente de ordem.

5. As cores dos quatro níveis.

Alma Mater é colorida de violeta à índigo.

Flamma Vestae é colorida de azul à verde.

Porta Mystica é colorida de amarelo à laranja.

Dulce Domum é colorida de vermelho à violeta.

6. Os oito Raios Cósmicos Coloridos.

Raio 0 & Viii, branco e arco-íris, correspondente á Terra e a Plutão, Norte.

Raio I, vermelho, correspondente a Marte, Nordeste.

Raio II, alaranjado, correspondente a Vênus, Leste.

Raio III, amarelo, correspondente a Mercúrio, Sudeste.

Raio IV, verde, correspondente a Júpiter, Sul.

Raio V, azul, correspondente a Saturno, Sudeste.

Raio VI, índigo, correspondente a Urano e ao Sol Interior, Oeste.

Raio VII, violeta, correspondente a Netuno e a Lua, Nordeste

Os rituais na liturgia são divididos em oito tipos diferentes de sessões e correspondendo aos Raios Cósmicos. O primeiro rito em cada sessão ou é uma tarefa pessoal assumida pelo estudante para obter novo conhecimento, ou uma função mundana descrevendo o despertar de uma relação divina e verdadeira do estudante com o mundo físico. O segundo ritual corresponde a um dos oito festivais solares da Roda do Ano, o terceiro é um estágio interior, transcendente, Elemental do estado de ser. O quarto rito corresponde a manifestação de uma habilidade específica ou experiência espiritual diretamente relacionada com este novo estado de consciência.

Nesses rituais mágicos Deus se manifesta nos mistérios exteriores como atributos que são visíveis no mundo físico. A Deusa representa os mistérios interiores ou conhecimentos, exceto no caso do planeta Vênus. Suas manifestações se manifestam no mundo como reprodução, amor e beleza física, sensualidade e na apreciação estética da arte. Nos mundos internos Vênus se manifesta como o amor espiritualmente elevado.

7. Correspondência básica entre cores, números, rituais e os Raios Cósmicos.

Quando estudar a estrutura dos degrais mágicos no sistema do colégio de Isis, é interessante ter em mente que Lawrence Durdin-Robertson foi fortemente influenciado pelos trabalhos de Alice Bailey, Charles W. Ledadbeater e Annie Besant.

Cada um dos oito raios da estrela de Ishtar corresponde aos raios cósmicos da Divina Inteligência conforme descrito nos trabalhos de Alice Bailey e Charles W. Leadbeater. Eles são fontes de força prânica. O propósito destes ritos é atingir uma determinada “nota” no nível de ser e então despertar a mesma “nota” em outras oitavas do ser através de símbolos e cores. A descrição elaborada dos roupões, coroas e outros símbolos ritualísticos no início de cada ritual coloca essas notas psíquicas em harmonia com a imaginação criativa do candidato e promove a visualização das energias a serem invocadas.

0 e 8º Raio Cósmico, branco e arco-íris: A cor branca é usada para purificar os centros etéricos e o arco-íris é para estimular todos estes centros de uma vez só. Assim preparando o individuo para receber a energia subseqüente dos próximos raios.

1º Raio Cósmico, Vermelho: Fortalece a Vontade.

2º Raio Cóscimo, Alaranjado: Estimula o poder Criativo.

3º Raio Cósmico, Amarelo: Desperta o Intelecto da Mente Superior.

4º Raio Cósmico, Verde: Cria uma Harmonia interna e Equilibrio.

5º Raio Cósmico. Azul: Abre os caminhos para um conhecimento interior.

6º Raio Cósmico:, Índigo: Percepção Espiritual através da devoção.

7º Raio Cósmico, Violeta: Conexão com o Self-Divino, despertar dos níveis superiores de percepção psíquica.


Quer saber mais? Entre em contato com o Iseum Rosa de Gaia: rosadegaia@yahoo.com.br

O texto original e outras informações em inglês podem ser encontradas no site www.thecircleofisis.com

O manifesto em português, bem como parte da liturgia podem ser encontrados aqui: http://lotuspharia.freeyellow.com/thecircleofisis/id48.html

Namastê

Nenhum comentário:

Postar um comentário